maranata – revelações da esposa do "pastor" amadeu

Serva Fiel.

Eu sei o que são essas maldições e conheço o esforço deles em faze-las cumprir.

Eu era recem casado e estava questionando muita coisa na ICM. Estava numa festa de aniversário de um jovem, quando a esposa de um pastor muito conhecido me chamou num canto dizendo que tinha uma revelação do Senhor. Fui ouvi-la e ela começou:

“assim diz o Senhor: cala a tua boca e para de questionar as revelações do PES, porque o PES é o representante do Espírito Santo na Terra e questionando o PES, a mão do Senhor vai pesar sobre vocë, destruindo sua vida e seu casamento”.

Então disse pra ela: “em nome de Jesus Cristo eu repreendo essa maldição e nenhum mal desse cairá sobre mim e minha esposa”.

Ela retrucou: não estou amaldiçoando.

Respondí: está sim, e se antes eu questionava, a partir de agora questionarei muito mais. É contra essas heresias que eu tenho me manifestado.

Isso era um sábado.

Na terça feira o marido dela, pastor e médico (esse não era o nosso pastor) chama minha sogra e minha esposa no consultório e faz a cabeça das duas contra mim,

Minha esposa ficou mais de 15 dias sem falar comigo e eu sem entender o que estava acontecendo. No final de ela não aguentou, começou a chorar e falou que o pastor tinha conversado com ela e a mãe e falado para ela não me dizer o que conversou comigo.

Eu descobri. Chamei meu pastor (não o médico) e disse que se ele não desfizesse o laço e apagasse essas palavras da cabeça dela na minha frente, eu jogaria o assunto pro ventilador e espalharia para toda igreja o que era essa liderança. E que o médico estava proibido de falar com minha esposa em minah ausencia.
Então ele desmentiu tudo que o outro pastor tinha dito e falou que eu não tinha dificuldade espiritual alguma, e que eu só buscava a verdade.

Hoje entendo que essas coisas devem ser divulgadas sim, para que esses pastores parem de ferir as ovelhas e para que as ovelhas não pensem que são casos isolados.

O pastor médico era o Amadeu.
A esposa dele que “profetizou” era a Linda.

O meu pastor, que desfez o laço, era o Nilsom.

O problema não são os dois, simplesmente, mas todo um sistema religioso que os faz assim eles retroalimentam esse sistema religioso, crianto um circulo vicioso malígno. O resultado são ovelhas feridas, lares destruidos, obras da carne, etc.

O que te aconselho é que use da autoridade do nome de Jesus para repreender essas maldições. Oração, Jejum e meditação na Palavra são fundamentais nesse processo.

Conte conosco em orações.

Graça e Paz,

PC Junior
.
.
Conheço estes fatos narrados pelo meu amigo PC Junior.

Observe a ousadia da profetada: “assim diz o Senhor: cala a tua boca e para de questionar as revelações do PES, porque o PES é o representante do Espírito Santo na Terra e questionando o PES, a mão do Senhor vai pesar sobre vocë, destruindo sua vida e seu casamento”.

Quando discriminação e preconceitos religiosos se juntam para lançar maldições – SEM CAUSA – nosso é o dever de FECHAR A BOCA DO MALDIZENTE E MENTIROSO, SEJA QUEM FOR.

CV.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/04/nota-a-imprensa/

Maranata – seguros obrigatórios

SEGUROS

Se recuarem as investigações até 1996, por exemplo, aparece o diretor financeiro tesoureiro do PES e dono da Angular Seguros. Ele assinava tudo: cheques que quitavam as faturas do Seguro de Vida dos pastores, funcionários e boletas de clientes (membros da ICM).

Mas usava os cehques Da conta do PES (Banco do Brasil) para quitar faturas de seguros quando deveriam ser quitadas pelo Banco Bandeirantes (conta espécífica). Meio nebuloso esse negócio, né?

Nesse rolo de SEGUROS a liderança estava envolvida. Toda ela…. Essa turma do Peixoto deve explicações…

Lembrem-se: DELAÇÃO PREMIADA é um benefício legal concedido a um criminoso delator, que aceite colaborar na investigação ou entregar seus companheiros. E isso pode ser usado contra os que se dizem “ungidos”… mas agem como ladrões de dízimos e ofertas

Que prodridão!
.
.
Olá,

Na legislação vigente nada encontrei que obrigue o cidadão a suportar este gravame religioso. Não satisfeito, consultei corretores de seguros em cinco das grandes administradoras de seguro da Capital e também estive no BRADESCO e no ITAÚ. Nada de obrigação…

Pela ausência das informações que retratem os termos do contrato do “seguro obrigatório da ICM-ES”, aquele que entender abusiva e ilegal a obrigação de pagar seguro para entrar no Maanaim – onde entende ter direito de receber a bênção prometida – não entra, não recebe a bênção, é discriminado, passa vergonha e pode sofrer exclusão. O Estatuto ordena: “A ICM-PES providenciará a exclusão de qualquer membro que se desviar das doutrinas, normas e orientações emanadas do Presbitério ou contrariarem a natureza da entidade”.

Perguntas que não querem calar:

1. Os cheques administrativos para cobertura dos acidentes ocorridos nas estradas foram expedidos pela ICM-PES ou por alguma seguradora?

2. Os membros da ICM-PES estarão sendo vítimas de constrangimento, dissimulação ou enganação para pagar o “seguro obrigatório da ICM-PES”?

3. Por que este seguro está sendo exigido há tanto tempo?

4. Quantas são as administradoras com que a ICM-PES opera?

5. Qual o valor de cada Apólice de Seguro dos eventos da Semana Santa em todo o País?

6. Soube que ossorrevelô, e o chefe muito religioso imediatamente determinou o seguro dos templos. Quanto isso dá de retorno ao “abençoado” corretor e quem é este felizardo?

7. Você dizima, oferta e ainda é obrigado a pagar “seguro obrigatório da ICM-PES”?

8. Você pode me informar quais os números das Apólices de Seguros que cobriram os eventos de que você participou como inscrito-segurado?

CV

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/04/nota-a-imprensa/comment-page-1/#comment-9563

Maranata: líder da igreja é investigado A análise de documentos e de depoimentos ao Ministério Público revela que tudo o que acontecia na igreja passava pelo pastor Gedelti Gueiros

Maranata: líder da igreja é investigado

A análise de documentos e de depoimentos ao Ministério Público revela que tudo o que acontecia na igreja passava pelo pastor Gedelti Gueiros

Quarenta dias após ter sido divulgado um esquema de corrupção na Igreja Cristã Maranata, o Ministério Público Estadual abriu um inquérito criminal para investigar o desvio de recursos provenientes do dízimo doado por fiéis. O presidente da instituição, Gedelti Gueiros, que não era apontado como um dos responsáveis pelo crime, é agora alvo da investigação junto com o restante da cúpula da igreja. Estimativas iniciais apontam que o rombo pode superar R$ 21 milhões.

Entre os crimes já identificados estão estelionato, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, formação de quadrilha e crimes contra a ordem tributária. O trabalho é conduzido pelos promotores do Grupo Especial de Trabalho de Proteção à Ordem Tributária (Getpot) e pelo Grupo Especial de Trabalho Investigativo (Geti).

Outra realidade

A Maranata, em uma apuração interna feita em outubro do ano passado, apontou como responsáveis pelo desvio três pastores e um diácono. Mas em uma ação movida na Justiça, a igreja acusou como cabeças do esquema o seu vice-presidente, o pastor Antônio Ângelo Pereira dos Santos, e o contador e diácono Leonardo Meirelles de Alvarenga, ambos afastados de suas funções.

Leia também:
Para advogado, ex-maranata, inquérito prova veracidade de denúncias

As investigações dos promotores mostram, porém, uma realidade diferente. A análise de documentos e até os depoimentos de fiéis e empresários que eram fornecedores da igreja revelaram que Gedelti Gueiros é tido como um líder absoluto, uma espécie de mito que detém o controle da Maranata. Ele está na cúpula da igreja desde a sua fundação e há cinco anos é seu presidente.

A gestão da Maranata estava nas mãos dele e de seus assessores diretos – vice-presidente, diretores, secretários, assessores e membros do conselho presbiterial. Juntos nomeavam e delegavam poderes e cargos estratégicos, aprovavam e avalizavam contas e condutas. Isso, segundo as investigações, indica que Gedelti sabia de tudo o que acontecia na igreja, não só no âmbito religioso, mas também administrativo.

Essa competência está prevista no estatuto da igreja que vigorava até o final do ano, quando foram feitas as denúncias de fraude. Ao presidente, segundo o documento, cabe: “Convocar e presidir reuniões, representar a igreja e indicar assessoria administrativa, econômica, jurídica e outras”.

Concentração

Outra conclusão dos promotores é de que a administração de toda a estrutura da igreja está centralizada no Presbitério, localizado em Vila Velha. De lá parte todo o comando administrativo e espiritual seguido com rigor pelos pastores nos mais de cinco mil templos no Brasil e exterior.

É também no Presbitério que está o caixa único da igreja, que recebe os recursos oriundos do dízimo de todos os templos. A Maranata não informa quanto arrecada por mês, mas sabe-se que é a segunda em número de evangélicos no Estado e uma das que mais cresce no país. Foi dessa conta que os recursos foram desviados.

A Gazeta 
Clique na imagem para ampliar

A investigação indica que os autores do desvio podem ter praticado fraudes que caracterizam estelionato, e que o crime seria semelhante ao dos dirigentes da Igreja Universal do Reino de Deus, vista pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) como “uma organização criminosa que se valia da estrutura da igreja e de empresas vinculadas para arrecadar vultuosos valores, ludibriando os fiéis”.

Esquema

O esquema seria viabilizado por intermédio da emissão de notas fiscais frias fornecidas por um grupo de empresas que prestavam serviços – que não existiam ou eram superfaturados – para a Maranata.

Na investigação realizada pela própria igreja diversos empresários chegaram a dar depoimentos confirmando a emissão de notas frias. Um deles é o proprietário de uma pequena papelaria localizada em São Torquato, Vila Velha. A Maranata chegou a pagar mais de R$ 941 mil por materiais que nunca foram entregues.

Havia ainda a criação de empresas falsas, a utilização de laranjas para adquirir bens ou constituir as sociedades comerciais. Atos que configuram, segundo os promotores, em outro crime, o de falsidade ideológica.

A possível associação entre os pastores que administravam a igreja para efetivar os crimes é caracterizada como formação de quadrilha, com viés de organização criminosa. O objetivo de tudo, segundo o que indicam as investigações, seria o enriquecimento ilícito. Algo que foi identificado a partir de movimentações financeiras discrepantes e pela ostentação de bens e patrimônio sem comprovação.

Carros e imóveis

Nos depoimentos há relatos de que os recursos desviados eram usados na compra de carros, imóveis, terrenos, apartamentos e no pagamento de contas pessoais. Outra parte do dinheiro era investida na compra de dólares, enviados para o exterior na mala dos fiéis.

Foram constatadas ainda provas de fraude ao fisco, com a emissão de notas fiscais frias e falsas, além da falsificação de dados em livros contábeis, que eram lavrados de forma ilícita para justificar os gastos que eram desviados da igreja. Para o Ministério Público Estadual isso constitui crimes contra a ordem tributária e de lavagem de dinheiro.

Parte das informações obtidas durante o processo de investigação vai ser encaminhada para o Ministério Público Federal. Dentre elas, a compra de equipamentos de videoconferência, que teriam entrado no Brasil de forma irregular. Os equipamentos eram adquiridos no Paraguai e nos Estados Unidos e trazidos para o Espírito Santo na mala de alguns fiéis.

Prazo

A investigação tem prazo de 90 dias para ser concluída, podendo ser prorrogada conforme a necessidade dos promotores. A partir de agora, todos os que supostamente teriam participado das ações ilícitas serão intimados a prestar depoimento.

O inquérito criminal tramitará com restrições a publicidade dos fatos apurados, o que significa que parte das informações não será divulgada. O objetivo, segundo os promotores, é não atrapalhar o andamento das investigações.

Igreja diz que “busca a justiça”

“Buscar sempre a justiça”. Esse sempre foi o objetivo da Maranata, segundo nota emitida pela igreja e assinada pelo advogado responsável por sua defesa criminal, Homero Mafra. Nela destacam que prova disso foram as medidas adotadas, como a realização de um procedimento interno de investigação e contratação auditoria independente para apurar as irregularidades cometidas contra a instituição. “Tudo por iniciativa da própria igreja”, diz a nota.

Houve ainda, segundo a nota, a troca dos membros do Conselho Prebiteral, que solicitaram ao Ministério Público Estadual e à Receita Federal que apurassem as possíveis irregularidades. “Vamos aguardar a apuração de todos os fatos e a responsabilização dos envolvidos”. Acrescentam que a igreja “utilizará de todos os meios disponíveis para preservar o seu rebanho e seus valores éticos, morais e espirituais”.

Na Justiça a igreja move uma ação contra o vice-presidente Antônio Ângelo Pereira dos Santos e o contador Leonardo Meirelles de Alvarenga, ambos já afastados de suas funções. O processo estava nas mãos do juiz Robson Albanez, que na última semana suspendeu o segredo de justiça e se deu por impedido para julgar a causa, alegando “questões de foro íntimo”. O caso foi transferido para o juiz da 7ª Vara Cível, Marcos Assef.

O caso também está sendo investigado pela Delegacia de Defraudações e Falsificações. O presidente da Maranata, Gedelti, chegou a ser convidado a depor, mas não compareceu.

fonte: http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/03/noticias/a_gazeta/dia_a_dia/1144923-maranata-lider-da-igreja-e-investigado.html

Maranata – enquanto o Ministério Público investiga o PES da Maranata elimina provas

Enquanto o Ministério Público investiga o PES da Maranata com GG e o vice acusado do desvio dos dízimos eliminam as provas como a empresa EU-BRALAT que o vice é/era sócio que está em processo de fechamento como consta no atual relatório da “Creditreform” – COMO PODE??
Sabiedrība ar ierobežotu atbildību “EU-BRALAT”

Liquidation proceedings have been initiated for the company (28.03.2012)
(traduzindo: Processo de fechamento para esta empresa iniciado em 28/03/2012)
Basic Information:

Company name: EU-BRALAT
Registration no.: 40103396351
Legal form: Limited liability company
Registration date in the Commercial Register: 22.03.2011
Register: Commercial register
Share capital: LVL 2 000 fully paid
Last change date: 17.04.2012
Management:
In order to see and search for managers for free, you have to register here
Contact information:

Legal address: Ģertrūdes 72-1, Rīga LV-1009
Real address:
In order to see for free real address, contact information, you have to register here
Phone number:
Fax:
E-mail:
Home page (www):
Activity indicators:

Business activities:
In order to see for free company activity indicators, branches, business activity description, number of workers, net turnover of the company, you have to register here
Branch:
Staff:
Net turnover:
Bankers:
Solvency:

VAT registry:
In order to obtain more detailed information about companies solvency, you have to register here
Insolvency:
Liquidation:
Debt collection:
Credit history:

Cases Have not been registered in credit history.
Negative case is the fact registered in database, when, after Creditreform debt collection intervention, the debtor has not carried out his liabilities by a specified date. Validity of inquiries and correctness of the sum of the creditor, as well as term of delay is considered as an estimation of Creditreform, proceeding from the information that is at its disposal.
In order to obtain for free, more detailed information from credit history database, you have to register here
The above avaialbe information is to be used only for the purposes of the Requestor. Creditreform carries no responsibility for the judgements, decisions made by the Requestor or the consequences of these. The distribution of the above available information to the third parties in any form and medium without the written permission from Creditreform Latvia is prohibited. SIA Creditreform Latvija tel. +371 67501033, fax. +371 67501040, http://www.creditreform.lv.

fonte: https://www.crediweb.lv/uznemums/40103396351/EU-BRALAT/?_lang=2

Relembrando que já ficou comprovado que o vice-presidente de gedelti gueiros foi um dos sócios da empresa EU-BRALAT SIA:

http://obramaranatarevelada.wordpress.com/2012/03/09/testemuno-o-dinheiro-dos-dizimos-para-a-ucrania-corrigindo-lituania/

revelação – maranata fundadores da igreja cristã maranata investigados pelo MP

Todos os orgãos competentes como Ministério Público e Polícia Federal etc. já tiveram a revelação sobre as irregularidades praticadas pelos fundadores e chefões da igreja cristã maranata – só a própria igreja ainda não teve essa revelação…
http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/04/nota-a-imprensa/

Maranata – irregularidades no âmbito da Igreja Cristã Maranata

Buscando atender à crescente demanda de informações quanto aos fatos relacionados às supostas irregularidades no âmbito da Igreja Cristã Maranata, primando pela lisura, transparência e resguardo dos atos investigatórios, o Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio do Grupo Especial de Proteção à Ordem Tributária (GETPOT) e do Grupo Especial de Trabalho Investigativo (GETI), após diligências e ações preliminares que apuraram indícios de autoria e materialidade de diversos delitos, informa que instaurou o Procedimento Investigatório Criminal – PIC n. 005/2012 no dia 08/03/2012, com o objetivo de investigar, identificar e especificar condutas de membros da Igreja Cristã Maranata, supostamente integrantes de uma organização criminosa especializada e responsável por crimes de estelionato e outras fraudes, bem como crimes contra a fé pública, ordem tributária e lavagem de dinheiro, ludibriando fiéis com o desvio de numerários oferecidos para determinadas finalidades ligadas à Igreja em proveito próprio e de terceiros, pessoas físicas e jurídicas (compostas por interpostas pessoas) vinculadas à quadrilha. Informa ainda que foi decretada a restrição e limitação de acesso a determinados documentos e informações constantes do procedimento e a publicidade de seus atos de instrução, visando resguardar a identidade de terceiros e a eficácia de diligências investigativas. O procedimento deverá ser concluído em 90 (noventa) dias, podendo ser prorrogado por decisão fundamentada em caso de necessidade.

http://www.mpes.gov.br/conteudo/interna/ver_noticia_evento.asp?cod_noticia_evento=2704&tipo=1

 

NOTAS

 

Ao fim desta jornada de quarenta anos a iniqüidade transbordou aos olhos da Sociedade, onde o NOME DO SENHOR está sendo blasfemado (cf. Rm. 2.24). Não se enganem: o dono da sapataria prometeu ilusões; por isso o o clamor é notório e público. Quando devia esclarecer, ameaça e arma esquemas de autodefesa; confunde, despista e foge à responsabilidade…

Com o contínuo bombardeamento de erros o olhar caolho do construtor de heresias determinou o estilo do formatado ideologicamente manipulável: o servo devedor da Obra (expressão que esconde ofanático instigado pelo ódio religioso e potencialmente perigoso). Doentes de esquizofrenia religiosa no beco sem saída. Não se iludam: Benícios e Benícias custam a entender que a falsa unção destrói e mata. Ora, os meia-solas nasceram do nebuloso pandulho do palácio da rainha desfigurada… Terrível!

Matérias publicadas:

Pastor usou ‘visão’ para justificar desvio
Envolvido em compras foi preso pela federal
R$ 1,8 milhão doados por deputados à igreja
Igreja contratou sobrinho de presidente
Maranata: “uma igreja que surgiu da luta pelo poder”
Maranata pagou R$ 941 mil em materiais nunca entregues
Milhões arrecadados e livres de fiscalização
Maranata: líder da igreja é investigado

Suspeita de crimes federais serão investigados

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/04/nota-a-imprensa/

Maranata – milagres pré-fabricados e enlatados para os escravos da obra

Pensei que nada mais me chocava, mas hoje fiquei sabendo de mais uma.
Nos foi falado na igreja que orássemos pela gravidez da esposas do Pr. Marcelo, na época da igreja Maranata do posto Mobby Dick e, Vila Velha/ES pq na ultrasom havia detectado que a criança ia ncer co síndrome de down… Quando a criança nasceu… Falaram em MILAGRE pq a criança havia nascido normal.

Hj fiquei sabendo por familiares dele que nao são da ICM que essa ultrassom com diagnostico de síndrome de dawn NUNCA EXISTIU.

Usam o nome de Deus em vão, brincaram com nossas orações e com nossa fé…. IMPERDOAVEIS!!!!!

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/04/os-filhos-da-instigacao-do-odio/