igreja maranata – Prefiro não me identificar, pois aqui fica o “Silêncio do Inocentes”, todos que quiseram falar foram eliminados ou maltratados

Muito antes de tudo estourar, gedelti e MM receberam estas denúncias! MM denunciou e gg abafou e castigou a quem tentou expor essas denúncias, porque ele era e continua o cabeça de TUDO – somente “inventou” as investigações internas quando já não tinha jeito – a obra estava exposta! Vamos manter os prejuízos sob controle declarando que a cúpula íniciou uma investigação interna para apuração… a farsa do pes da maranata continua com o lema para 2013… infelizmente

Interessante a frase final do autor: “Prefiro não me identificar, pois aqui fica o “Silêncio do Inocentes”, todos que
quiseram falar foram eliminados ou maltratados.”

Caro Pr Gedelti e MárioEstou na ICM a quase 20 anos e aqui recebi a
direção do Espírito Santo do é Obra Revelada, aqui vivi com minha família e os
meus filhos cresceram na presença do Senhor, hoje tive a oportunidade de vê-los
firmes na Igreja e estarem com suas vidas em andamento.

Ao longo dos anos tenho visto algo que não preferia ver, tenho visto algo que o
Senhor tem me cobrado e que não pode mais passar em branco; Uma quadrilha está
se armando e roubando a ICM, estamos na Serra e um Grupo comandado pelo Vice
Presidente tem enriquecido e tido privilégios que tenho a certeza que nem o
Senhor nem os pastores aceitariam, isto é um absurdo, vou mencionar para os
senhores parte do que tem acontecido:

1-      Pastores ligados diretamente ao Vice, tem enriquecido prestando serviço para o PES e os
mesmos em sua maioria são sócios de boca do Vice, ou seja eles ganham muito
dinheiro e o vice automaticamente também enriquece, fato que funcionà ¡rio
aposentado de CST nem com herança ficaria tão rico após sua coincidente posse
na ICM e aposentaria, “que aposentadoria”

2-      Pastores ligados ao Vice como Jarbas, Regis, Deco, Ze Gomes, Marcelo Oliveira, Madela, tem emitido notas altas para a ICM, a
pergunta é como conseguem estas liberações de pagamento sem que vcs não tomem
conhecimento, os mesmos tem estados e trocado de carros, ou melhor “carrões” e
desfilado com dinheiro de dizimo desviado e roubado do Senhor.

3-      Verifiquem onde o Pr Deco mora, estavam armando para tomar aquele imóvel, passei no bairro e ele já dizia que era dono do
imóvel, espero que isto seja revisto e consigam reaver o mesmo.

4-      Carros são negociados a vontade entre eles e com a ICM, pelo poder que o vice tem, pode fazer o que bem quiser, mas de uma
coisa sabemos, não ficam de carro usado, apenas de carros novos.5-      Compra de
terrenos e casas para fazer com que o patr imônio da quadrilha cresça e
desenvolva.

6-      Já se sabe em toda Serra que o Vice possui mais de 10 aptos, 7 casas e dezenas de terrenos distribuídos entre,
Serra, Cariacica, Viana, Domingos Martins, Vila Velha e até outros estados.

7-      Casas em condomínios fechados que os mesmos
tem comprado para poderem não serem vistos e se manterem reservados, sem serem
investigados.

8-      Como funciona: Jarbas fecha os terrenos, Léo contador do PES faz a contabilidade e
recebe quantias altas por isto e os pequenos como Deco, Ze Gomes, Madela,
emitem notas altas para poderem se manterem e ter o respeito do Vice, sem falar
a compra exagerada de dólar que eu mesmo já presenciei e Tb fiz, chame estes
para depor, verão que existe fundamento, como empresas pequenas faturam tanto.
Feirante Deco tendo o padrão que tem, Eletricista Jarbas com condomínio de
mansões e fazendo com hidromassagem, Vice com casas e condomínio fechado de
mais de 500 mil, Leo como contador comprando imóveis comerciais de mais de 500
mil, sem falar nas Casas em condomínio fechado que ele e sua irmã compraram num
condomínio fechado por mais de 500 mil. Isto é só o começo.

9-      Pr Gedelti e Mario, não fechem os olhos para o
que está aparente e todos já comentam, quem não está com eles está contra eles,
muitos foram derrubados, maltratados, eliminados, envergonhados e humilhados,
tudo em troca da riqueza e do dinheiro fácil que existe.

10-   Trabalhei no PES por anos e vi um tal carimbo do Vice que
pagava altas quantias e valores exorbitantes, este carimbo era conhecido dentro
do PES como carimbo real, pergunte aos funcionários todos sabem que existe este
carimbo, o ‘CARIMBO REAL”.

11-   Fica muito fácil a mesma pessoa que pedi os serviços, é sócios
de boca de todos mencionados e autoriza os serviços e pagamentos, isto se chama
“Máfia”.

12-   Compra de dólar e moeda estrangeira para alimentar a maquina da
corrupção que movimenta a ADM da ICM. Eu mesmo já fui acompanhando e dirigindo
para levar malotes de dinheiro que era colocado no cofre do Vice ou entregue a pessoas
ligadas a ele. Muitos milhares de dólares foram comprados e gastos na maquina
corrupta liderada pelo Vice.

13-   Presentinhos e compras no Paraguay, estas os senhores precisam
saber, todos que vinham de lá, já sabiam que o Vice e seus comparsas adoram
tecnologia e presentes para esposas, isto até hoje acontece, presentes em troca
de unção, ordenação e serviços e vendas de equipamentos para TV e Vídeo
Conferencia.

14-   Ontem na transmissão fiquei pensando será que Pr Gedelti e
Gilson sabe destes picaretas e ladrões que fazem como aqueles que vendiam
pombos, vacas e ovelhas dentro do Templo, estão fazendo pior, estão sendo
Judas, estão metendo a mão na bolsa daquilo que é do Senhor.Concluindo nosso depoimento, investiguem, não deixe passar, mu itos companheiros
querem sair, deixar o ministério caso isto não seja resolvido, sabemos que
ninguém quer isto, chegamos até aqui e não podemos deixar estes salteadores roubarem aquilo
que pertence ao Senhor, terá que dar conta da mordomia deles, mas não podemos
ser coniventes com isto.

Ajam enquanto é tempo, pois podem perder muitos pastores e eu serei o primeiro,
não posso colocar minha Igreja ou orientar as ovelhas que o Senhor nos confiou
para ouvir e ver alguns destes pastores a frente dizendo e pregando fidelidade
e mordomia, se os mesmos estão assaltando a ICM.

Prefiro não me identificar, pois aqui fica o “Silêncio do Inocentes”, todos que
quiseram falar foram eliminados ou maltratados.Existem muitos pastores na Serra, Domingos
Martins e Vila Velha que querem falar, pois a coisa e enorme e atinge

ate o Almoxarifado, mas ali mencionarei em outra oportunidade, ali a

coisa é menos pior mas Tb existe. A Corrupção maior está Pr Gedelti e

Mario debaixo dos vossos olhos, não os feche façam como fizeram com

Toscano no passado, pois se fecharem os olhos, vão criar outro grupo,

como vcs fizeram no passado e nós amamos a Obra que Deus tem revelado na

ICM.

Espero que vcs entendam minha posição de não me identificar,

estou mencionando nomes fortes e influentes em todos os níveis e quem se

levantou foi eliminado.

Façam justiça, pois sabendo a verdade e não

resolverem, não serei eu cobrado, minha parte foi feita, acabem com os

cambistas e vendedores de pombos dentro de nossas Igrejas.

Mensagem de ontem na Escola Bíblica Dominical:

14- E achou no templo os que vendiam bois, e ovelhas, e pombos, e os cambiadores
assentados.

15-  E tendo feito um azorrague de cordéis, lançou todos fora do templo,

também os bois e ovelhas; e espalhou o dinheiro dos cambiadores, e

derribou as mesas;

16-   E disse aos que vendiam pombos: Tirai daqui estes, e não façais
da casa de meu Pai casa de venda.

João 2:14-16

O Silêncio dos Inocentes

Prefiro não me identificar, pois aqui fica o “Silêncio do Inocentes”, todos que
quiseram falar foram eliminados ou maltratados.

Quem são os verdadeiros profetas que foram perseguidos e eliminados por quererem a VERDADE?

fonte: denúncia recebida por email

Membro do baixo escalão é volu-otário, membro do alto escalão é volu-milionário

Temos que tirar o chapéu para o Jabuti. Sério. Enganar tantas pessoas durante tanto tempo. advogados, arquitetos, engenheiros, juízes, promotores, médicos, empresários, etc., isso sem citar o povão desinformado que se acha esperto como todo brasileiro.
Mês retrasado conversei com um empresário sem me identificar como ex-enganado. Fiz isso no intuito de descobrir a maneira como pensava e também não queria estragar os momentos que passamos em um hotel. Perguntei o que achava das notícias veiculadas na imprensa e pasmem, disse que era tudo mentira, que os retirantes eram todos caídos, que o presidente é um santo, etc.
Imaginem, se um empresário pensa assim o que pensará o povão. Realmente são dignos de pena. Estão igual a marido traído que, informado, não acredita e ainda fica com raiva de quem contou a verdade.
A única coisa que salva o brasileiro é o caráter e isso nunca se ensinou nas organizações maranata. Se você tiver caráter duvidoso com certeza ficará em dúvida.
Resumindo: o pes instituiu o voluntariado para o serviço da igreja e só não explicou as divisão existente. Membro do baixo escalão é volu-otário, membro do alto escalão é volu-milionário.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/05/apaixonei-me-pela-obra-e-agora/

R$ 1,8 milhão doados à igreja – Valor foi repassado à Maranata por deputados estaduais

foto: Bernardo Coutinho
Elcio Alvares, deputado estadual pelo DEM, junto com a mesa diretora, anuncia a devolução do dinheiro que não foi usado na última gestão - Editoria: Política - Foto: Bernardo Coutinho
O deputado Elcio Álvares doou R$ 860 mil  à instituição nos últimos seis anos

Vilmara Fernandes e Letícia Cardoso

Um total de 1,8 milhão de recursos públicos foi destinado por deputados estaduais para a fundação da Igreja Cristã Maranata. Entre os parlamentares que destinaram os recursos para a fundação Ademar Passos de Barros – no período de 2005 a 2011 – estão Elcio Álvares, Aparecida Denadai, Geovani Silva e Jurandy Loureiro. Os três primeiros são fiéis da igreja; e o último, amigo pessoal do presidente da instituição, Gedelti Victalino Gueiros.

Os valores foram entregues para compra de ambulâncias, subvenções sociais, apoio a entidades filantrópicas, compras de equipamentos e até para melhorias no atendimento. Quem mais fez doações no período foi Elcio (R$ 860 mil), seguido de Aparecida (R$ 450 mil), de Geovani (R$ 410 mil) e, por último, Jurandy (R$ 80 mil).

A fundação leva o nome do primeiro presidente da Maranata, Manoel dos Passos Barros, sogro do atual líder da igreja, Gedelti. Hoje é administrada por Nilson Ladeira. O administrador anterior era Antônio Tarcísio Correa de Mello, cujo nome aparece em um dos muitos documentos relativos ao esquema de fraude montado por membros da instituição.

Crédito

O documento – um comprovante de crédito em conta corrente – teria sido feito por uma parente de José Gomes Filho. De acordo com ele, o valor refere-se ao pagamento de um empréstimo que conseguiu com Antônio Ângelo Pereira dos Santos, o vice-presidente afastado pela igreja e apontado como cabeça do esquema de desvios. “Fui orientado por Antônio Ângelo a depositar na conta de Tarcísio como pagamento de parte de um lote em Domingos Martins”, diz José Gomes, no mesmo documento.

Também participava da diretoria da fundação o coronel reformado da Polícia Militar Renato Duguay Siqueira. Ele foi um dos militares que comandaram a “rebelião de coronéis contra o ex-secretário de Segurança Pública, Rodney Miranda, após a publicação do livro “Espírito Santo”. A obra relata a participação de militares, incluindo coronéis, na morte do juiz Alexandre Martins Filho.

Desvio

O desvio de recursos na Maranata contava com a participação de pastores, diáconos e até fonecedores, segundo investigações da igreja. Estimativas iniciais apontam para um rombo de R$ 21 milhões. A igreja recorreu à Justiça, pedindo ressarcimento de R$ 2,1 milhões. Além do vice-presidente, o contador Leonardo Meirelles de Alvarenga foi afastado.

A Maranata, por meio de sua assessoria, informou que Tarcísio e Duguay não atuam na fundação há um ano e que as transações que envolvem ao nome deles são particulares.

Ex-deputado não se arrepende de ter apoiado doações

O deputado Élcio Alvares (DEM), a ex-deputada Aparecida Denadai (PDT) e os ex-deputados Geovani Silva e Jurandy Loureiro (PSC) foram procurados por A GAZETA para comentar sobre as emendas parlamentares que apresentaram na Assembleia Legislativa a favor de repasses financeiros do Estado para a Fundação Manoel Carlos de Barros. Somente o ex-deputado Geovani Silva atendeu às ligações.

Ele afirmou que não se arrepende de ter apoiado a doação de recursos à fundação, coordenada pela Igreja Maranata. “Se a igreja está com problemas isso não significa que as emendas também estão. Não há nenhum problema e prova alguma que diga o contrário. Não fiz nada errado”, defende-se Geovani Silva.

Prevenção

Ao todo, entre 2005 e 2011, foram mais de R$ 1,8 milhão destinados para ações sociais. Segundo o ex-deputado Geovani Silva, parte dessa verba, aprovada pela Assembleia Legislativa, foi destinada a programas de prevenção ao câncer de pele. “Visitei os espaços ajudados pela fundação e vi para onde parte do dinheiro foi. Entre os locais está o Cacon (Centro de Alta Complexidade em Oncologia)”, disse.

O ex-deputado frisou que acredita na palavra do presidente da Igreja Maranata, Gedelti Gueiros. “Por ele, boto a minha mão no fogo”, frisou Geovani Silva. Ele, o deputado Elcio Álvares e a ex-deputada Aparecida Denadai são membros da igreja. O ex-deputado Jurandy Loureiro é amigo de Gueiros. (Maurílio Mendonça)

Presidente da Maranata não comparece à delegacia e novo advogado assume o caso

O depoimento do presidente da igreja Maranata, Gedelti Victalino Gueiros, à Delegacia de Defraudações e Falsificações, em Vitória, foi adiado. Ele foi intimado a comparecer no local às 10 horas desta quinta-feira (09), mas o advogado que assumiu a defesa da igreja referente ao inquérito criminal, Homero Mafra, pediu prazo ao delegado Gilson Gomes para analisar o caso.

Nesta sexta-feira (10) o delegado deve se reunir com o advogado. Ainda não há nova data para o depoimento do representante da igreja. Gueiros deve prestar informações sobre um esquema de desvio de dinheiro na igreja.

O inquérito policial foi aberto há três dias, segundo o delegado, com base em reportagens publicadas sobre o assunto. “E já conta com três volumes”, assinalou Gomes, na tarde de ontem, acrescentando que tem recebido diversas denúncias e informações de fiéis. A polícia também recebeu um ofício do juiz da 8ª Vara Cível, Robson Albanez, solicitando que investigasse o caso.

Albanez – denunciado pela Operação Naufrágio por venda de sentenças – decretou, a pedido da Maranata, segredo de Justiça na tramitação do processo. Até o fim da noite de ontem, não estava confirmada a ida de Gedelti à delegacia.

Pastor omitiu bens em sua declaração de imposto

O nome de Antônio Ângelo Pereira dos Santos, o homem que ocupava a vice-presidência da Igreja Cristã Maranata, aparece em documentos de compras de imóveis que não foram declarados ao Imposto de Renda. Ele foi afastado de suas funções – administrativas e religiosas – após ter sido acusado de montar um esquema de desvio de recursos do dízimo.

Um desses imóveis é um apartamento localizado em Valparaíso, na Serra, comprado em 2007. No mesmo município, há outro imóvel em um condomínio fechado que ainda não foi declarado ao Fisco.

No mesmo município e das mesmas construtores, outro membro da igreja comprou imóveis bem semelhantes, que juntos totalizam mais de R$ 600 mil. Essa pessoa – que em 2009 declarou ser solteira e ter como profissão “pavimentador” – passou para Antônio uma procuração com amplos poderes. Há indícios de que essa pessoa seria um dos laranjas do vice-presidente afastado, apontado como o responsável pelo desvio de recursos do dízimo.

Em casa

Há documentos que mostram a movimentação financeira de Antônio Ângelo e que revelam que ele vendeu à própria igreja uma área em Serra-Sede. Documentos mostram, ainda, que Antônio Ângelo atuava nas empresas que prestavam serviço para o Presbitério de Vila Velha. Uma delas é uma empresa de serviços elétricos que o contratou como consultor. Pelo serviço “extra”, praticado em 15 horas semanais, recebia R$ 12 mil por mês.

Há ainda dezenas de cheques e transferências para contas correntes, todas nominais, que foram creditadas na conta de Antônio Ângelo por diversas empresas. Todas prestaram depoimento na investigação feita pela Maranata, revelando que, do faturamento que obtiveram, até 70% eram destinados a Antônio Ângelo.

defesa

O advogado José Luiz Oliveira de Abreu – que defende Antônio Ângelo e o contador Leonardo Meirelles de Alvarenga, também acusado pelos desvios – diz que todo o material obtido pela investigação da igreja não tem relevância e que boa parte dos documentos são anônimos. Acrescenta que seus clientes não tiveram o direito de se defender junto à igreja e que só podem ser considerados culpados após julgamento.

Preocupação com malha fina nos EUA

Uma troca de e-mails entre pastores revela que a remessa de dólares para o exterior chamou a atenção do Banco Central dos Estados Unidos. O comunicado foi feito pelo pastor americano Ben Kennedy a Antônio Ângelo Pereira dos Santos, o pastor que ocupava a vice-presidência da Maranata e que foi afastado após ser apontado como o cabeça do esquema desvio de recursos.

Todo mês, Kennedy enviava a Antônio um relato sobre as remessas de recursos destinados ao Leste Europeu. Em março de 2011, relatou ter recebido um telefonema do representante do Banco Central norte-americano.

“A impressão que tive foi de que estamos em alguma malha fina da auditoria do governo americano, que sempre procura indícios de lavagem de dinheiro e financiamento de terrorismo”, diz Kennedy, em seu e-mail. E orienta: “Talvez seja interessante considerar fazer estas transferências pela Europa”.

A Maranata informou que desconhece irregularidades nesse sentido. Caso tenha ocorrido, terá sido mais uma atitude irregular do antigo gestor. Diz que mantém seu compromisso de apurar as denúncias e exigir, pelos meios legais, a punição dos responsáveis e o ressarcimento do que lhe foi subtraído.

fonte: http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/02/noticias/a_gazeta/dia_a_dia/1111561-r-1-8-milhao-doados-a-igreja.html

Maranata – seguros obrigatórios

SEGUROS

Se recuarem as investigações até 1996, por exemplo, aparece o diretor financeiro tesoureiro do PES e dono da Angular Seguros. Ele assinava tudo: cheques que quitavam as faturas do Seguro de Vida dos pastores, funcionários e boletas de clientes (membros da ICM).

Mas usava os cehques Da conta do PES (Banco do Brasil) para quitar faturas de seguros quando deveriam ser quitadas pelo Banco Bandeirantes (conta espécífica). Meio nebuloso esse negócio, né?

Nesse rolo de SEGUROS a liderança estava envolvida. Toda ela…. Essa turma do Peixoto deve explicações…

Lembrem-se: DELAÇÃO PREMIADA é um benefício legal concedido a um criminoso delator, que aceite colaborar na investigação ou entregar seus companheiros. E isso pode ser usado contra os que se dizem “ungidos”… mas agem como ladrões de dízimos e ofertas

Que prodridão!
.
.
Olá,

Na legislação vigente nada encontrei que obrigue o cidadão a suportar este gravame religioso. Não satisfeito, consultei corretores de seguros em cinco das grandes administradoras de seguro da Capital e também estive no BRADESCO e no ITAÚ. Nada de obrigação…

Pela ausência das informações que retratem os termos do contrato do “seguro obrigatório da ICM-ES”, aquele que entender abusiva e ilegal a obrigação de pagar seguro para entrar no Maanaim – onde entende ter direito de receber a bênção prometida – não entra, não recebe a bênção, é discriminado, passa vergonha e pode sofrer exclusão. O Estatuto ordena: “A ICM-PES providenciará a exclusão de qualquer membro que se desviar das doutrinas, normas e orientações emanadas do Presbitério ou contrariarem a natureza da entidade”.

Perguntas que não querem calar:

1. Os cheques administrativos para cobertura dos acidentes ocorridos nas estradas foram expedidos pela ICM-PES ou por alguma seguradora?

2. Os membros da ICM-PES estarão sendo vítimas de constrangimento, dissimulação ou enganação para pagar o “seguro obrigatório da ICM-PES”?

3. Por que este seguro está sendo exigido há tanto tempo?

4. Quantas são as administradoras com que a ICM-PES opera?

5. Qual o valor de cada Apólice de Seguro dos eventos da Semana Santa em todo o País?

6. Soube que ossorrevelô, e o chefe muito religioso imediatamente determinou o seguro dos templos. Quanto isso dá de retorno ao “abençoado” corretor e quem é este felizardo?

7. Você dizima, oferta e ainda é obrigado a pagar “seguro obrigatório da ICM-PES”?

8. Você pode me informar quais os números das Apólices de Seguros que cobriram os eventos de que você participou como inscrito-segurado?

CV

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/04/nota-a-imprensa/comment-page-1/#comment-9563

revelação – maranata fundadores da igreja cristã maranata investigados pelo MP

Todos os orgãos competentes como Ministério Público e Polícia Federal etc. já tiveram a revelação sobre as irregularidades praticadas pelos fundadores e chefões da igreja cristã maranata – só a própria igreja ainda não teve essa revelação…
http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/04/nota-a-imprensa/

Maranata – irregularidades no âmbito da Igreja Cristã Maranata

Buscando atender à crescente demanda de informações quanto aos fatos relacionados às supostas irregularidades no âmbito da Igreja Cristã Maranata, primando pela lisura, transparência e resguardo dos atos investigatórios, o Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio do Grupo Especial de Proteção à Ordem Tributária (GETPOT) e do Grupo Especial de Trabalho Investigativo (GETI), após diligências e ações preliminares que apuraram indícios de autoria e materialidade de diversos delitos, informa que instaurou o Procedimento Investigatório Criminal – PIC n. 005/2012 no dia 08/03/2012, com o objetivo de investigar, identificar e especificar condutas de membros da Igreja Cristã Maranata, supostamente integrantes de uma organização criminosa especializada e responsável por crimes de estelionato e outras fraudes, bem como crimes contra a fé pública, ordem tributária e lavagem de dinheiro, ludibriando fiéis com o desvio de numerários oferecidos para determinadas finalidades ligadas à Igreja em proveito próprio e de terceiros, pessoas físicas e jurídicas (compostas por interpostas pessoas) vinculadas à quadrilha. Informa ainda que foi decretada a restrição e limitação de acesso a determinados documentos e informações constantes do procedimento e a publicidade de seus atos de instrução, visando resguardar a identidade de terceiros e a eficácia de diligências investigativas. O procedimento deverá ser concluído em 90 (noventa) dias, podendo ser prorrogado por decisão fundamentada em caso de necessidade.

http://www.mpes.gov.br/conteudo/interna/ver_noticia_evento.asp?cod_noticia_evento=2704&tipo=1

 

NOTAS

 

Ao fim desta jornada de quarenta anos a iniqüidade transbordou aos olhos da Sociedade, onde o NOME DO SENHOR está sendo blasfemado (cf. Rm. 2.24). Não se enganem: o dono da sapataria prometeu ilusões; por isso o o clamor é notório e público. Quando devia esclarecer, ameaça e arma esquemas de autodefesa; confunde, despista e foge à responsabilidade…

Com o contínuo bombardeamento de erros o olhar caolho do construtor de heresias determinou o estilo do formatado ideologicamente manipulável: o servo devedor da Obra (expressão que esconde ofanático instigado pelo ódio religioso e potencialmente perigoso). Doentes de esquizofrenia religiosa no beco sem saída. Não se iludam: Benícios e Benícias custam a entender que a falsa unção destrói e mata. Ora, os meia-solas nasceram do nebuloso pandulho do palácio da rainha desfigurada… Terrível!

Matérias publicadas:

Pastor usou ‘visão’ para justificar desvio
Envolvido em compras foi preso pela federal
R$ 1,8 milhão doados por deputados à igreja
Igreja contratou sobrinho de presidente
Maranata: “uma igreja que surgiu da luta pelo poder”
Maranata pagou R$ 941 mil em materiais nunca entregues
Milhões arrecadados e livres de fiscalização
Maranata: líder da igreja é investigado

Suspeita de crimes federais serão investigados

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/04/nota-a-imprensa/