igreja cristã maranata – a quem possa interessar

A QUEM POSSA INTERESSAR

Lemos na reportagem de 26/11/12:

“Agora, o Ministério Público segue com as investigações através do depoimento de testemunhas, eventuais colaboradores e membros da Igreja que tenham informações de irregularidades na gestão. Foram notificadas 26 pessoas para prestarem esclarecimentos a partir dos próximos dias.

Outros colaboradores que quiserem auxiliar nas investigações podem entrar em contato com a instituição por meio dos promotores de Justiça do Gaeco, ou pelo telefone 127, da Ouvidoria do MP-ES, que recebe denúncias sem a necessidade de identificação.”

http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/2012/11/mp-es-analisa-documentos-da-igreja-maranata-e-notifica-testemunhas.html

DENUNCIE casos de dinheiro de dízimos desviado para contas em nome de pastor; casos de aquisição irregular de imóveis em nome de esposa, mãe, filha, genro ou enteado de pastor da maranata.

Denuncie. Este é o momento. Nesta semana 4 (quatro) casos chegaram aos meus ouvidos e aconselhei os interessados a DENUNCIAR.

Denúncias ao MP-ES podem ser feitas no site ou através de telefone.
http://www.mpes.gov.br:8080/ouvidoria/portal/contato.html

E mais: inclusive, informações sobre morte suspeita de algum pastor da ICM/PES, devem ser levadas às autoridades.

Leve em consideração que o poço de iniquidades foi destrancado e não tem fundo http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/02/poco-de-iniquidades/

O sigilo está garantido. Acesse o site do MP-ES, como indicado, e faça a opção pelo anonimato, caso entenda necessitar desta proteção.

CV.

post em: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/12/bando-de-fariseus/#comment-49237

Maranata – 30.000 documentos com fraudes da maranata encaminhados para o Ministério Público

Um Pr me disse esta semana que houve uma reunião de coordenadores no PES e lá eles orientaram para que até as conversas telefônicas sejam discretas porque a igreja está sendo “monitorada”. Lamentável afirmação pois a palavra diz que onde há o Espirito de Deus, há liberdade. Neste caso acho que o Espirito deve estar se mudando de endereço. Enquanto não houver os devidos esclarecimentos para todos e de maneira transparente e que algumas pessoas construirem seus ninhos atrás das grades conforme manda a justiça, creio que não teremos a presença maravilhosa do Espirito Santo Consolador. Muito triste…
.
.
Cerca de 30.000 (trinta mil) documentos de fraudes foram entregues às autoridades onde se vislumbra um leque de crimes etc.

Delegacias especializadas estão apurando os fatos

Grupos de Promotores (Estaduais e Federais) investigam

Os esgotos estão sendo escancarados enquanto os Judas depejam penicos pelas janelas do palácio da rainha desfigurada (cuidado! não passe por aquela rua…).

Os poderes constiuídos pela Carta Magna para proteção da Sociedade estão vigilantes.

Pesadas sentenças virão e somente agora eles falam em “discreção”?

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/03/o-clamor-publico/

Polícia investiga fraude nos EUA da maranata

Obreiro da Maranata está sendo acusado de ter falsificado 656 cheques e cartões de crédito na Filadélfia, no valor de R$ 480 mil

Uma nova denúncia envolvendo um obreiro da Igreja Cristã Maranata está sendo investigada pela Polícia Civil. Ele foi acusado de ter falsificado 656 cheques e cartões de crédito na Filadélfia, nos Estados Unidos, no valor equivalente a R$ 480 mil. A fraude teria sido descoberta em 2002, mas só na última segunda-feira, o empresário, que tem 62 anos, fez a denúncia ao delegado Gilson Gomes, da Delegacia de Defraudações
e Falsificações (Defa). O empresário, que pediu para não ter o nome divulgado, afirmou que antes disso denunciou o caso a  um pastor da Maranata nos Estados Unidos e a “um homem que se apresentou como responsável do Presbitério de Vila Velha”.

Ele contou que sua sobrinha era casada com o pastor e, em 1998, foi apresentado a ele na Filadélfia. Como não falava inglês, ele teria oferecido para acompanhá-lo no banco. “Foi ali que começou a maracutaia. Ele usou os meus documentos, inclusive passaporte, abriu uma conta bancária e conseguiu cartões de crédito.” Em seguida, o empresário foi morar em Boston, de onde só retornou para a Filadélfia em 2002,
quando descobriu que talões de cheques e cartões de crédito estavam chegando em seu nome. “Contratei um advogado e descobrimos o esquema fraudulento.”

Em 2009, o empresário retornou para o Espírito Santo. “Descobri que o pastor-obreiro estava pregando em uma igreja em Jardim Camburi. Ele rasurou e assinou por cima dos cartões de crédito e pagava telefone, supermercado, celular e cartões dele”, afirmou.

O delegado explicou que irá intimar o obreiro para prestar depoimento. “Estou investigando, mas só posso instaurar um novo inquérito depois de apurar se esse pastor praticou o mesmo crime no País. Preciso verificar se a competência para apurar é minha.”

Gilson Gomes disse que inicialmente os crimes apontam para estelionato e falsidade ideológica, cuja pena, se condenado, varia de um a cinco anos para cada crime. O empresário disse que o acusado é um obreiro. A Igreja Maranata negou que ele fosse pastor. Sobre as denúncias, a igreja disse que não tem qualquer registro.

Para ler completo: http://pdf.redetribuna.com.br/

Digite: ano 2012
Mês: Março
Dia 01
Caderno: Noticiário
Página 15.

O ridículo é que este “obreiro” continua como PASTOR na maranata MESMO após denuncia!