igreja maranata – pedreiro da icm construções ganha 700R$/mês – mas o pes da icm declara que ele ganha 27.000R$/mês

CV… por que os recibos de dízimo da maranata antes vinham da seguinte forma: Dizimo e oferta expontânea, agora vem saguinte forma: DOAÇÃo e oferta? Não é estranho? Existe alguma lei que fale sobre isso?

Mudando de assunto…

Soube de uma caso que um pedreiro da ICM construções que ganha R$ 700 e alguma coisa (salario bem abaixo do merca, pois o Brasil ta bombando nessa área e tem predriero em São Paulo ganhando mais de R$ 2000,00) estava de passagem numa cidae aqui do Paraná e comentou com os irmãos que irria tentar sacar o PIS, pois recebia menos de 2 salários mínimos por mês, quando ele foi sacar a moça do caixa disse que ele não tinha direito, pois recebia de salario a quantia de FR 27.000,00, isso mesmo eu não errei os zeros (vinte e sete mil reais/mês).
Alguem no site ouviu falar de algo parecido? Não sei que atitude esse pedreiro tomou, mas sem querer descobriu ser um laranjão, iiso aconteceu a mais oumenos 15 dias atrás…
Estamos de olho.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/10/negocios-nebulosos-seguros/comment-page-1/#comment-19158

Comentário obramaranata revelada:

Ao comentário do Irmão do Paraná

Mais uma forma de o deus mamon gedelti e seus filhotes retirar/em os lucros dele/s do caixa único da icm. Isto já é sádico! Acabaram com mais uma vida de um homem que ajudava construír esses templos que os icemitas restantes continuam frequentar a cada dia. As paredes desses templos estão cheias de sangue!

Como pode? Esta acusação é muito grave e tem que ser investigada levantando as folhas de pagamento da GJJ Empreendimentos.

Os piores empresarios no Brasil e no mundo não teriam essa cara de pau – dá para imaginar que o pes-icm paga uma miséria a quem ajuda a construir templos e ao mesmo tempo usa ele para “roubar” dos cofres da igreja? SABENDO que esse ajudante no crescimento da “obra” vai ser prejudicado muito em sua vida… é coisa do diabo mesmo – e ainda entra gente defendendo!! E ainda tem gente colocando seus pés nesses templos construídos com sangue e suor de escravos e vítimas do pes-icm.

A respeito da pergunta sobre o dízimo: “os recibos de dízimo da maranata antes vinham da seguinte forma: Dizimo e oferta expontânea, agora vem saguinte forma: DOAÇÃo e oferta?”

Deve ser recomendação dos advogados do pes-icm. O dízimo éticamente é para a obra de Deus. Já uma doação você abre mão desse dinheiro sem questionar mais o que é feito com ele.

Deve ser para se proteger de processos futuros contra a icm-pes de irmãos que entram na justiça. Declarando que você está doando esse dinheiro a chance é zero na justiça.

Em outras palavras mais claras:

Dízimo = oferta, contríbuição para a Igreja na qual você entregou, para os objetivos da igreja.

Doação = o beneficiado pode usar de forma que ele quizer sem ter que responder a ninguém para que fim usou essa doação.

Eu penso que o pes-icm está tentando enquadrad as “doações” de seguinte forma prevista por lei:

“A doação pura ou simples é feita por mera liberalidade, sem condição presente ou futura, sem encargo, sem termo, enfim, sem quaisquer restrições ou modificações para a sua constituição ou execução.”

Já o dízimo é muito mais díficil de enquadrar jurídicamente e definitivamente traz muitas possibilidades de prejudicar o PES:

http://www.sccb.adv.br/eng/views/artigo.php?id=11

PAZ

maranata – Para que ainda não entendeu a “obra”, taí a radiografia.

Para quem ainda vive no mundo da imaginação e não entendeu a “Obra”.

De acordo com o montante dos documentos timbrados dos respectivos cartórios o esquema é diabolicamente simples:

– As empresas contratadas para fazer os serviços da instituição demagógica religiosa eram de sociedade dos próprios contratantes.

– Os serviços eram superfaturados. Por exemplo, um serviço de logística (de nada para coisa nenhuma)  de uma empresa nunca antes existente, sem experiência e com só três funcionários (sócios – entre eles o próprio vice) era contratada por 12 mil reais mensais para 15 horas de trabalho semanais.

– Para burlar o estatuto da própria instituição, eram produzidas procurações nominais com todo poder, para comprar vender e em nomes desses procuradores, não em nome da instituição.

– De posse de todo direito legal, esses homens compravam, vendiam qualquer propriedade da ICM (carros, imóveis, etc.). Não precisando dizer por quanto vendiam nem por quanto compravam. Esses homens vendia e compravam um dos outros. Compravam por ninharia e vendiam por preço alto, superfaturado. Lavando dinheiro e legalizando o produto da fraude.

– Quando não podiam explicar os gastos e o dinheiro que sumia da instituição, eram confeccionadas notas fiscais frias, para tampar o rombo. Esse dinheiro era dividido pelos integrante do bando. Segundo o vice isso era prática antiga, antes de chegar ao cargo.

A parte do líder da organização religiosa:

GG deixava todo esse emaranhado com o vice. Era o vice quem assinava toda a sujeira. GG não queria se sujar nominalmente, preferia ter a sua parte na gang em espécie, em dinheiro vivo, longe dos olhos do fisco.

Só que a quadrilha deixou rastros. Nos contratos, nos cartórios, no patrimônio crescente… NOS DOLARES E NAS CASAS DE CÂMBIO DO SUBMUNDO… Tudo será rastreado pelo MINISTÉRIO PÚBLICO.

DO OUTRO  LADO:

Os pobres fiéis fazem vaquinhas para pagar os aparelhos de vídeos-conferências e comprar todo material de limpeza das igrejas locais. E dando os dízimos de seus trabalhos honestos para alimentar essa quadri: lha de bandidos.

VIDA DE GADO. MASSA DE MANOBRA.

DEUS NÃO TEM PARTE NISSO!!!

Para que ainda não entendeu a “obra”, taí a radiografia.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2010/08/o-rabo-do-diabo-esta-metido-nisto/

maranata – Aqueles que fazem vista grossa, são honestos, e mesmo tendo ouvido as diversas denúncias, não querem se aprofundar nelas, e permanecem por medo mesmo, acreditando estarem na “obra filho único de mãe solteira”

Desculpem a franqueza no que vou postar agora. Não quero ofender ninguém, mas classifico quatro tipos de pessoas, ligadas a icm, nesta hora:

1) Os que tomaram conhecimento de bem mais do que a ponta do iceberg, ou seja, de toda a podridão submersa, de heresias, mentiras, falsas unções, politicagens, crimes, etc, e resolveram deixar o ninho sujo e fedorento, por estarem incomodados;

2) Os irmãos inocentes, coitados, que nem imaginam estar em lugar de tanta hipocrisia e falsidade. Podem perguntar, quem não sabe de nada ainda? Sim, queridos, tem pessoas simples, aqueles vozinhas por exemplo, humildes, os irmãozinhos desprovidos até de cultura, e estão com inteireza de coração, e até ficam tristes e oram por nós, quando saímos. Posso estar errado, mas estes, mesmo se permanecerem na seita, vão direto para o céu, mas como não sou Deus para garantir;

3) Aqueles que sabem de tudo e ainda participam ativamente dos diversos esquemas, e nunca pensariam em largar o “osso”, pois tem rabo preso mesmo, e

4) Aqueles que fazem vista grossa, são honestos, e mesmo tendo ouvido as diversas denúncias, não querem se aprofundar nelas, e permanecem por medo mesmo, acreditando estarem na “obra filho único de mãe solteira”, aceitando todos os mandos e desmandos, baixando a cabeça e cumprindo com tudo de forma subserviente. Muitos destes ainda, juntamente com as respectivas famílias, almejam insistentemente crescimento, vindo do “sinhôrevelou”, dentro da unção meia-sola e de funções (diaconato, unção, ordenação, grupo de intercessão, grupo de louvor, professor, frente de servas, etc), e a todo custo. Há ainda uma outra variante dentro deste grupo, que é o grato, por um favor recebido da seita ou dos seus gestores, resultando em um grande benefício, seja recebido em uma única prestação (como um bom empréstimo por exemplo) ou em gordas mensalidades (caso de vínculos empregatícios diretos com o pes, vínculos empresariais com alguns da seita, etc…) Denomino o quarto de “vaca de presépio”, e confesso que são esses alvos maiores da minha oração e trabalho, para que deixem a seita.

Os outros, deixo para os irmãos escolherem o nome que quiserem.

Deixo claro que tal classificação foi resultante de uma pesquisa no “teti-a-teti”, dentro do universo do meu conhecimento, na qual busquei entender o pensamento de quem se definiu por se retirar ou de quem decidiu permanecer, analisando as respectivas razões apresentadas.
E aí, o que acham? A Paz do Senhor a todos.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/06/desertores-quem-sao-e-onde-estao/#comment-12418