igreja cristã maranata – a ilha da fantasia

A ILHA DA FANTASIA

Existia um seriado antigo, cujo nome era “A Ilha da Fantasia”, onde um anfitrião, contratado por pessoas geralmente de posses, recebia em uma ilha, tais pessoas contratantes e seus convidados, com toda uma estrutura preparada com base nas informações por eles prestadas, concernentes a um problema vivido, geralmente, de relacionamento ou trauma.

O propósito do contratado e de sua equipe era o de solução daquele problema, como um renovo no casamento de alguém, superação de traumas de infância, etc. Para atingir tal objetivo, o dono do negócio preparava encenações, simulações, fantasias, sempre com o condão de abordar mensagens relacionadas ao problema em si, e propondo soluções de posturas a serem tomadas, a partir de então, para ser vencida a dificuldade.

As pessoas, em todas as vezes que participavam do programa “Ilha da Fantasia”, sentiam imensa satisfação, pois entendiam que seus problemas eram solucionados como por belos passes de mágica.

Meus amados, a “obra maravilhosa” gedeltiana se assemelha à “Ilha da Fantasia”, pois são feitas simulações, ditas meias verdades, falsas doutrinas bíblicas, até encenações, sempre objetivando que o formatado encontre uma sensação de que não há problema algum mais, basta encarar que está no melhor lugar do mundo, cercado de perfeição por todos os lados, como em uma ilha fantasiosa. Simples assim!

O anfitrião é gedelspapa, que dá as boas vindas com muito colorido, perfumaria e promessas de soluções, tais como preparação para o arrebatamento, vivência de uma “obra filho único”, o desprendimento do materialismo, com o pastoreio leigo e não remunerado, as diversas orientações, chamadas de revelações, que impedem o exercício do pensamento cristão no Puro Evangelho, comodismo de solução de problemas com boas profetadas, grupos de intercessão, o louvor é revelado somente a eles, etc.

A equipe que ajuda o “dono do negócio” é composta pelos discípulos ou asseclas, que assumem direitinho as personagens do programa, aqui, chamado “obra”, e transmitem mensagens de resolução mágica dos conflitos, simplesmente obedecendo aos comandos emanados do “pacote” contratado: mistério além da letra, revelações, profetadas, consulta à Palavra, clamor pelo sangue de Jesus, meios de graça, culto-profético, ossinhorevelô, ossinhorientô, entendimento de obra, infalibilidade do “ungido” do Senhor, etc.

O preço foi caro, pago por muitos, que acreditaram nas promessas falaciosas da “obra maravilhosa”, e do isolamento do mundo, propalado pela “Ilha da Fantasia”, que promoveu o afastamento da vida social e do convívio com irmãos de outras denominações, chamados pejorativamente de religiosos, pertencentes a movimentos, adeptos da mescla, do ecumenismo. Antes entorpecidos pela Linguagem do Não-pensamento e sufocados pela política dos DONs (doutrinas, orientações e normas), os retirantes encontraram liberdade, deparando-se com as verdades bíblica e dos fatos, e a ilha (obra) está cada vez mais esvaziada, perdendo a sua capacidade de encanto e de promover falsas soluções para os traumas das pessoas, que na verdade só pioram com o peso das obrigações, discriminações, arrogâncias, politicagens, maus-tratos, mentiras, falsidades, competições, sectarismo, facciosismo, heresias, avarezas.

E você, vai continuar pagando caro para viver na Ilha da Fantasia?

Não se isole! “Busca satisfazer seu próprio desejo aquele que se isola; ele se insurge contra toda sabedoria.” (Provérbios 18:1)

JESUS: “Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal.”. (João 17.15)

A Paz do Senhor.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/05/apaixonei-me-pela-obra-e-agora/#comment-17289

igreja cristã maranata – Vejam! O que eles mesmo construíram esta desabando diante da palavra de Deus.

Na seita acontece cada coisa…

Agora não é mais meios de graça na seita, agora é recursos da graça, revelação que eles disseram que era para aquela Obra maravilhosa caiu por terra, pois só existe um meio de graça que é a fé, encontramos em Efésios2:8: Porque pela graça sois salvos,por meio da fé;e isso não vem de vós;é dom de Deus.

Vejam! O que eles mesmo construíram esta desabando diante da palavra de Deus.

No anfiteatro de carapina na cidade Serra da grande Vitória,é gritaria,profetadas,histeria etc. Davam aula que isto acontecia nos movimentos, agora estão fazendo pior dizem que o que acontece e´coisa para doido nestas vigilias no anfiteatro de carapina, o Comendador para segurar alguns esta permitindo, mas então vamos pensar um pouco, então aquelas aulas sobre meios de graça e Obra e movimento não eram reveladas, era tudo mentira?saiam deste hospicío, das heresias das profetadas, das revelagens.

um abraço fraternal

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/11/muita-coisa-esta-errada-dentro-desta-igreja/

maranata – Durante 30 anos vivi nesta igreja sob o jugo de pastores arrogantes, soberbos, debaixo de profetadas e muitas vezes até humilhada, porque a ovelha via as coisas erradas e não tinha direito de falar porque se falasse era banco na certa

Graça e paz
Gostaria de falar para o irmão observador, que a justiça de Deus tarda mas não falha.

Ele pede para o CV falar de outras denominações; mas tudo tem seu tempo e hora. O juiz que é o nosso Deus está atento a tudo e as pessoas certas para falar dos erros que ocorrem tudo em nome de Deus. Ele antigamente usava os profetas para abrir os olhos do povo. E hoje somos gratos a Deus que usou o CV para também abrir os nossos olhos do erro, das heresias para que pudéssemos ver o caminho da verdade o caminho que nos leva a Deus.

Durante 30 anos vivi nesta igreja sob o jugo de pastores arrogantes, soberbos, debaixo de profetadas e muitas vezes até humilhada, porque a ovelha via as coisas erradas e não tinha direito de falar porque se falasse era banco na certa.

Hoje paro pra pensar e vejo o absurdo e que Jesus jamais faria assim, porque Jesus é amor. Então agradeço a Deus primeiramente e este homem usado por Deus CV que abriu os nossos olhos para a verdade.

Antes com tantos rescentimentos, mágoas, que carregávamos em nossos corações, estávamos indo a caminho do inferno sem perceber, e hoje libertos encontramos a nossa paz o nosso Deus verdadeiro um Deus de amor e perdoador sem acepção de pessoas.Estamos servindo com liberdade, sem cobranças e com muitas alegrias e não o deus obra que era só cobrança e amor nenhum.

Graças a Deus, São Paulo acordou porque são muitos os retirantes, para esta “obra” só um milagre!….

Que Deus os abençoe.
.
.
O Pior das Mentiras, em 17/06/2012 as 16:04

Fábrica de meia-solas, em 19/04/2012 as 9:20

Filhos da instigação do ódio, em 12/04/2012 as 17:23

CV.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/06/discriminacao-e-preconceitos/#comment-14541

igreja cristã maranata – “A OBRA”: CONSTRUINDO HERESIAS

“Levantou-me o Espírito, e ouvi por detrás de mim uma voz de grande estrondo, que, levantando-se do seu lugar, dizia:Bendita seja a glória do SENHOR.”

(Ez. 3.12)

A apostila Os Valentes da Obra (1) evidencia que a mentalidade (conduta) de Obra – da qual é bem difícil alguém dela ficar livre – construída ao longo do tempo, é capaz de,  noite e dia, operar na imaginação dos beatos, desavisados obreiros e desencorajados pastores corrompidos pela heresia icemita e ainda agrilhoados ao misticismo pseudocarismático do sistema.

Buscar entendimento oculto das Escrituras,  e espiritualizar expressões ou frases isoladas do contexto próximo e conteúdo geral, indo além do plano semântico da passagem, é enredar a membresia com  extravagâncias de interpretação. Método extremamente perigoso. Na alegoria ou espiritualização a mente do intérprete não se prende às exigentes regras da Hermenêutica Bíblica.

Entenda: não há como checar o que ele interpreta, e não merece confiança o que ele diz ser doutrina revelada ou palavra revelada. Nestes casos (alegoria ou espiritualização) o intérprete busca o pretenso sentido oculto do texto, fazendo disto o padrão único. O pior acontece, quando ele está enredado por bajuladores, falsos profetas ou pastores subalternos que o apoiam descaradamente e proclamam: Deus falou!

Evidentemente, na terra de cego quem tem um olho é caolho. Não duvide: o olhar caolho da doutrina revelada busca algo com que possa acirrar a empáfia religiosa, desacatar as Escrituras Sagradas e encantar com empulhação além do que está escrito e do jeito que está escrito. Cegos guiando cegos e o Diabo bate palmas.

Esteja atento e bem disposto para o que você vai ler, pensar e refletir.

Criando ilusões

Complicada, confusa, dispersiva e mal elaborada, a apostila Os Valentes de Davi – Valentes da Obra é anunciada com ares de doutrina revelada além da letra e mistérios da Obra que veio da eternidade; mas não passa de grandiloquente imbróglio embrulhado em absoluta incerteza. Certamente, este “além da letra” passou a  jargão do maranatês e pedra de tropeço para o gedeltismo.

I) A apostila Os Valentes de Davi – Valentes da da Obra aparece bem no início dos Seminários da Obra e encontrou lugar de destaque no palco das ilusões e mitos da então incipiente monarquia pseudocarismática. Conteúdo dissimulado de exclusivo e integral apoio ao mestre-mor, o expositor inigualável da palavra revelada que veio da eternidade. (sic)

apostila afirma que Davi é tipo de Cristo. A burla aparece logo no início do referido texto. Assim começa a espiritualização. Expressamente. Ora, por mais que admiremos o afável poeta, diligente guerreiro, homem de seis mulheres e rei de Israel, é absolutamente incorreto afirmar que Davi é tipo de Cristo. Nem o desobediente, idólatra, multimilionário, ocultista e polígamo Salomão serve de tipo do Espírito Santo (como ensina o mestre); mas na espiritualização é possível, especialmente quando o profeta de bolso estremece a fala e proclama: falei através do meu ungido…

Definitivamente, as Escrituras Sagradas jamais permitirão esse tipologês do mestre que ignora a Epístola aos Hebreus e demais Escrituras; mas coloca a inerrância da doutrina revelada além da letraacima da inerrância das Escrituras Sagradas, enquanto debocha e continua debochando dos que se dedicam a exercer fé em Jesus e biblicamente pensar e pensar teologicamente.

II) A apostila nada nos fala do “evangelho da graça de Deus” (At. 20.24) que chegou até nós (1 Pe. 1.10-12; 2 Pe. 1.16-18). Ela está carregada de alegorias, fantasias, ficções e malabarismos que distorcem a intenção do Espírito Eterno ao inspirar o hagiógrafo que proclama (2 Tm. 3.16-17):

“Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.”

A espiritualização de frases das Escrituras facilmente gera a doutrina revelada em afronta ao conteúdo ético, gramatical, histórico, inerrante, judicial, legal, natural, profético, santo, teológico e verdadeiro das Escrituras Sagradas. Ainda mais grave é a discriminação, que faz com insensatas proclamações de ser a ICM-PES, exclusivamente, a Igreja fiel, a Obra do Espírito, a única que tem a doutrina revelada. Deste modo, a esperteza do mestre-mor cai sobre sua cabeça entorpecida com o erro.

III) Ares de cabala e numerologia aparecem entranhadas nisto que o icemita-mor denomina de mistérios da Obra. Espiritualizando a expressão “trinta e sete” em 2 Sm. 23.39b., ele orgulhosamente proclama: 37 valentes => 3 = trindade 7 = perfeição (Obra perfeita do Espírito Santo).

Então, perguntamos: Qual trindade? Que ObraObra perfeita em quê? Como alguém consegue encontrar a trindade a Obra perfeitaescondidinhas na frase isolada do conteúdo e contexto geral das Escrituras? Não pergunte ao mestre-mor, pois ele  nunca dará explicações e dirá: mistérios da Obra.

Nada obstante, a lista desses guerreiros é maior que a anterior e se completa com o rol descrito em 1 Cr. 11.10-47 e 12.1-22, onde estão mencionados “os principais valentes de Davi que o apoiaram valorosamente no seu reino, para o fazerem rei… e eram dos valentes que o ajudaram na guerra”.  O mestre-mor jamais conseguirá demonstrar, como é que as listas de guerreiros (homens) sanguinários possam ser modelos de pastores para o Novo Testamento; mas além de espiritualizar ele incluiu mulheres (casadas ou solteiras) pois insistiu (ênfase nossa):

Os valentes da Obra também são assim: a irmã que enfrenta o marido não crente todos os dias; o jovem que se dedica ao serviço no Maanaim; os que abrem mão do conforto fazendo as madrugadas; a irmã que entende a revelação e abre mão da calça comprida; os pastores e obreiros que viajam; os trabalhadores do Maanaim; os que se gastam pela Obra.

Neste passo, a espiritualização da frase “trinta e sete” contraria o contexto, deixando-o completamente esvaziado de integração com o restante da Revelação Proposicional. E eis a empáfia icemita com mais um capítulo da doutrina revelada!  Não é verdade que mitos não precisam de sustentação?Ora, esse  esperto icemita intérprete dos intérpretes insistiu em chamar este blefe esquizofrênico demistérios da Obra.

IV) Assim, desde que o construtor de heresias afirma que 3 é o número da trindade, ele cai num círculo vicioso; porque o número 3aparece 14 vezes em 2 Sm. 23.1-39. Isolar somente o último versículo? O que acontecia na mente do pensante? Por que a atenção especial aocabalístico numero 37? Quem o inspirava? Quem o estimulava a dar continuidade à heresia? Só encontro esta resposta: ao espiritulizar“trinta e sete” intencionalmente, o mestre mergulhou a membresia no pior teologismo…

Considerando que o olhar caolho é capaz de dissimular e gerar a nebulosa revelação além da letra para cada frase das Escrituras; diante das 14 ocorrências do número 3 ao longo de 2 Sm. 23.1-39, o beato ignorante dará como correto: 3 (a trindade) e 14 > 2 x 7 (a dupla porção do valente da obra perfeita); e plenamente satisfeito o mestre dirá:  ele entendeu a Obra. Mas, o que se observa nestes casos é o seguinte: definitivamente o erro do mestre está introjetado na mente desse servo da Obra Maravilhosa.

Contra-golpeando esta palavra revelada, melhor será: 3 x 14 = 42 > 4+2 = 6 > número daqueles que aprisionam beatos e com mãos de ferro dominam os rebanhos de Deus. Dominadores, falsos mestres e falsos profetas nunca são transparentes.

V) A fim de entendermos o dano da espiritualização intencionalde frases da Bíblia e os malefícios decorrentes, o olhar caolho do construtor de heresias abusa da expressão bíblica “além da letra”, com o exclusivo e nefasto propósito de aprisionar os beatos com o jargão:Hoje a Obra é a igreja que compõe os 37 valentes.

Esteja certo de que este jargão é apresentado e reiterado com ares de augusta, inerrante e maravilhosa verdade… e os formatados dizem:Amém!

Infelizmente, o mestre-mor conseguiu introjetar na mente dos servos da Obra o enigmático e ininteligível status de valentes da Obra; porém, os erros e fracassos grosseiros nos cultos proféticos mostram que de valentes nada tem. Os retirantes que o digam…

VI) Aquele que elabora e institucionaliza jargões, descobriu que, de lerdos, beatos, formatados, obreiros e pastores subalternos nunca pensam; e por nunca pensarem, nunca exercem fé nas Escrituras, na sabedoria e no poder de Deus (cf. Rm. 1.16.17; 1 Co. 1.24), exatamente, por estarem empanzinados com doutrina revelada além da letra.

Beatos  encantados com a linguagem do não-pensamento facilmente se deixam FORMATAR nos modes do gedeltismo (eclesiasticismo fiosófico, místico, monárquico pseudocarismático) que nada tem de Evangelho de Deus. Esta linguagem do não-pensar, além de gerar jargões, franqueia portas para o falso profetismo que corre nasunidades locais da ICM-OBRA como fogo em palha seca e abre portas pa a ação de espíritos de engano.

Icemitas em geral e especialmente os formatados servos da Obraaprenderam a ecoar jargões. Ciclo vicioso! Quando alguém lhes pede a razão da fé, exlamam: OBRA MARAVILHOSA! Porém, se confrontados com o que Deus disse, do jeito que Ele disse,  eles respondem com agressões e maldições que aprenderam com a Mensagem Para Pastores 2007.

Infelizmente, a elite das elites dos icemitas (clero superior) e os pastores subalternos (crero inferior) depositam fé nos jargões do mestre muito religioso. Não tenho outro modo de dizer: eles depositam fé na crença do chefe icemita, por serem “néscios e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram” (Lc. 24.25).

Neste contexto o maranatês identifica a linguagem do formatado servo da Obra. Esta formatação é conseqüência direta de algo eminentemente e intencionalmente ocultista: A FALSA UNÇÃO.

Insistindo na insanidade religiosa

O argumento de fundo é este: o mestre-mor espiritualizou a frase “trinta e sete”, e apresentou o que denominadoutrina revelada além da letra, querendo dizer que o ministério da Obra Maravilhosa é para valentes que, neste sentido estão dotados da mesma estirpe dos arrolados “valentes de Davi”.

Ora, fosse incontroverso esse argumento, deveria merecer confirmação e  pleno respaldo das Escrituras. Mas este ensino pseudocarismático resiste ao exame das Escrituras? Evidentemente, NÃO!

Portanto, cabe a pergunta: é possível espiritualizar a frase “trinta e sete” com outros contornos?

VII) Sim, é possível. E até bem entremeados com ensinos e expressões proféticas das Escrituras com dramaticidade e peso; ainda mais, porque a frase “trinta e sete” aparece inserida no curto versículo 39 do capítulo em comento. Nele está inserido o número 37, cabalisticamente considerado o número fixo do destino. (3)

Então, a partir do cabalístico número 3 de que o icemita-mor lançou mão para introduzir na ICM-OBRA a alegada e mística palavra revelada, também chamada de mistério da Obra, formulemos a hipótese:

a.  3 > a tríade satânica (Ap. 16.13);
b.  > cada um dos “filhos do diabo” (Ef. 2.1-3; Jo. 8.44; 1 Jo. 3.10);
c.  7 > a obra perfeita do “príncipe que há de vir” (Dn. 8.25; 9.26);
d.  30 > 5 x 6 = cinco continentes dominados pelo “príncipe que há de vir” , ou seja: o Grande Homem Maçônico; ou
e.  30 > 3 x 10 = dez supernações (governo internacional) sob o jugo da trindade satânica (Dn. 2.28-43 cf. Ap. 13.1-8; 16.13);
f.   37 x 6 = 222 > a terça parte do mistério profético está revelada;
g.  222 > 2+2+2 = 6 > número do homem capacitado pelo Diabo, o pai da mentira (Jo. 8.44; Ap. 13.2b);
h.  222 > número a ser multiplicado por 3 para revelar o mistério da besta;
i.  666 > número da besta, a que sobe do mar, “pois é número de homem” (Ap. 13.18) aquele que receberá apoio do “falso profeta” (Ap. 16.13).

VIII)  Assim conjeturando, demonstro que a espiritualização de frases das Escrituras cria imbróglios dos mais ousados. Infelizmente, a cegueira espiritual de muitos os faz acreditar em doutrina revelada… mistérios da Obra. O pior acontece quando algum falso mestre declara:ossorrevelô! Ou lança mão do prestante profeta de bolso, que instigado pelo agregado que se esgueira nas sombras, irrompe com a profetada:DEUS FALOU!

Alguém dirá: esta hipótese não faz sentido. Então, lhes direi explicitamente: o que não faz sentido é a elite dessa falsa Obra Revelada continuar aprisionando os beatos e enganando obreiros e pastores subalternos com espiritualização da frase “trinta e sete” em 2 Sm. 23.39b., como o construtor de heresias exige e impõe. Somente um apóstata, dissociado da realidade, fanático, herético, ilusionista, ignorante ou mestre obstinado e tendencioso consegue falar de a trindade e a obra perfeita do Espírito Santo em 2 Sm. 23.39b. Absurdo! HERESIA!

Entendo que o formatado icemita, como medo de pecar contra a Obra Maravilhosa, nem percebe que mantém o cabalístico número 37introjetado na mente, porque ele é estimulado (inconscientemente) a querer ser mais um vale(n)te da Obra Revelada. Lamentavelmente, confiante nas meias verdades do mistério da Obra que veio da eternidade; e enganado nos cultos proféticos e nos Seminários da Obra com espiritualizações, profetadas e revelagens, o icemita de carteirinha desenvolve a espiritualidade esquizofrênica(alienação da realidade) no modelo proposto sistematicamente.

Infelizmente, o mestre-mor decompôs o cabalistico número 37com a intenção de proclamar que a trindade (qual delas?) está presente na Obra perfeita (perfeita em quê?), para a forma(ta)ção dosvalentes da Obra. De conformidade com esta palavra revelada essesservos da Obra ou valentes da Obra é que serão os notáveis, ou seja: homens capazes de apoiar  o chefe icemita e os balcões de negócios; defender o gedeltismo e  interesses da instituição monárquica e pseudocarismática. Corporatismo! Cumplicidade!

IX) Desde que o olhar caolho além da letra descobriu a trindade e a perfeição da Obra dentro da expressão “trinta e sete” inserida nas entranhas do curto versículo 39; ainda conjeturando e decompondo o número 39 (3 x 13) chegamos ao seguinte: 3 > número da tríade satânica; 13 > 6 + 7 = número do homem maligno e ocultista na mais perfeita rebelião contra Deus; porquanto é dito que 13 é o número de Satanás. (4)

Do mesmo modo, aplicando a esperteza do construtor em espiritualizar frases das Escrituras, diremos que o número 39 aponta o adorador do diabo, o homem maligno em sua completa depravação e revolta contra Deus.

Então, concluímos: na frase “trinta e sete” o olhar caolho “além da letra”  encontrou a trindade e a perfeição da obra; mas embaraçou-se na heresia que guarda, em suas entranhas, a intensificação do mal.

X) Portanto, se o olhar caolho do construtor de heresias da obra perfeita que veio da eternidade acredita em força e mistério dos números; e que certos segredos da doutrina revelada aparecem escondidinhos em expressões numéricas e frases isoladas das Escrituras; diremos que ele conseguiu construir e erguer a doutrina revelada ao nível de dogma negrumoso e ocultista. Portanto, este ensino é herético. ENSINO DE DEMÔNIOS!

Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas.

CONCLUSÃO

A astúcia da elite icemita está na  formatação e na  manipulação de obedientes obreiros que não-pensemfazendo-os crer movidos pelo espírito de obediência à Obra como fonte de autoridade espiritual e poder pentecostal para serem  valentes… muito valentes. Autoridade espiritual?, capacitação sobrenatural? poder pentecostal e valentia? onde estão na prática? O evitar de desmascarar os falsos profetas e o fugir de expulsar demônios demonstram a fraqueza dos valetes (escrevi valetes). Os erros grosseiros nos cultos proféticos – fatos incontroversos notórios e públicos – provam o contrário da lenga-lenga do mestre-mor.

A ordem do monarca é imperiosa: ABSORVAM A OBRA! Deste modo, o chefe muito religioso impõe o DON (Doutrinas, Orientações e Normas do Presbitério cf. arts. 5º e 25 do Estatuto da ICM-PES), constantemente manipulado pelo  icemita mestre dos mestres e exclusivo modelo dos 37 valentes (quem lê entenda).

Assim, o clero superior despeja a doutrina revelada sobre o clero inferior; e estes obrigam as unidades locais à INDISCUTÍVEL OBEDIÊNCIA. Nesse construto hierárquico de profetadas e revelagens avalia-se a capacidade do servo da Obra ser erguido à condição de defensor da instituição e mero representante do presbitério naunidades locais, conforme o Estatuto Icemita.

Buscar entendimento oculto das Escrituras, além do plano semântico da passagem, é espiritualizar frases consistindo emextravagâncias de interpretação em completa DESARMONIA com o que Deus disse, do jeito que Ele disse. Método extremamente perigoso. Na espiritualização de frases das Escrituras a mente do intérprete não se prende às exigentes regras da Hermenêutica Bíblica, e não há como checar o que ele interpreta. Neste passo, o gedeltismo busca o pretenso sentido oculto do texto, fazendo disto o único padrão… e fracassa. E fracassa quem o imita…

Caindo no engodo de espiritualização de frases das Escrituras, em Ap. 8.5 o mestre-mor cometeu o pior dos erros: destituiu a Cristo Jesus de Seu Apostolado, Messianato e Sumo Sacerdócio, declarando: (5)

Enquanto os anjos se preparam para atender às determinações do Todo Poderoso, o fogo do altar (símbolo do Espírito Santo) é jogado sobre a Terra para os homens, que recebem diretamente do altar o calor das chamas incendiárias do poder de Deus, onde o Espírito Santo age cada vez com mais intensidade em seus corações, como apelo e preparo aos fatos que sucederão, evitando surpresa, o medo e o terror próprio dos desavisados. É a misericórdia de Deus preparando o homem para receber com alegria as suas intervenções.

Mergulhando ainda mais nesta erronia esquizofrênica, o chefe icemita insistiu em que três das quatro trombetas do Apocalipse tocaram (se assim for, já estamos na grande tribulação) e a quarta trombeta equivale à “última trombeta” de 2 Co. 15.52; quando, então, a Igreja Fiel (leia-se: a ICM-PES) exclusivamente será arrebatada“num abrir e fechar de olhos”. Erro em cima de erro. Milenar é o ensino da Escritura (Jó 5.12-13):

“Ele (Deus) frustra as maquinações dos astutos, para que as suas mãos não possam realizar seus projetos. Ele apanha os sábios na sua própria astúcia; e o conselho dos que tramam se precipita.”

Não é, pois, de admirar, que a augusta doutrina revelada… mistérios da Obra propalada pelo chefe muito religioso da ICM-PES, seja conveniente como encantamento dos incautos e instrumento de aprisionamento e manipulação dos obedientes e obtusos servos da Obra.

Nesta condição,  diáconos, mestres dos Seminários, obreiros e os referidos  representates do presbitério (pastores) anseiam e esperam pelo escondido na cartola ou na manga do paletó do mágico; e agrilhoados ao condicionamento místico-religioso da doutrina revelada além da letra, não mais conseguem enxergar o que está nas Escrituras SagradasO absurdo disfarce do poder camaleônico ficou introjetado na mente de cada icemita. Romper com esses entraves exige esforço indescritível.

O propósito deste artigo foi demonstrar em que resulta a alegoria (fantasia) na boca e na doutrina dos falsos mestres e incrédulos especializados na empulhação e na espiritualização de frases das Escrituras. 

Ora, a empulhação gera incrédulos e mata! A apostila em comento nos mostra que a Verdade do Evangelho ainda é mistério nesta ICM-OBRA, onde alegorias, dissimulações, espiritualizações das frases da Bíblia e o gasto e muito obtuso tipologês aparecem absolutos e indispensáveis no arranjo caracteristicamente dissimulado dos ensinos principais nos Seminários da Obra.

Os beatos dependentes e os obreiros subalternos aprenderam a confiar na crença do monarca muito religioso; e, deste modo dispensam o criterioso exame das Escrituras, bem como o exercício da fé no poder e sabedoria de Deus. E enquanto os valetes (escrevi valetes) dormem, os filhos do maligno incentivam o maranatês que continua crescendo qual joio no meio do trigo (Mt. 13.24-30,36-43). Laços do Diabo!

Por conseguinte, a doutrina revelada consegue encantar beatos, obreiros obtusos e pastores subalternos; mas não faz o mais mínimo sentido para os crentes firmes na “fé em Cristo Jesus” (Gl. 2.16) segundo as Escrituras; porque não somos “como os demais, que não têm esperança” (1 Ts. 4.13b). Mas logo aparecem decepções  falhas recorrentes, a ponto de obreiros dizererem: muita coisa está errada dentro desta igreja. Nesta condição de fidelidade a Cristo e às Escrituras Sagradas é que “seremos arrebatados… num abrir e fechar de olhos…” (1 Ts. 4.17; 1 Co. 15.52).

Portanto, ARREBATAMENTO JÁ!

Tenho por firme, que a porção das Escrituras que RECUSAMOS, é sempre aquela que nos torna INÚTEIS PARA O REINO DE DEUS. Cristão, escreva isto em seu espírito e esteja certo desta máxima. Dispensa demonstração por ser escrituristicamente verdadeira. Sua consciência já falou ai dentro do coração.

Você não precisa concordar comigo. Porém, NUNCA poderá dizer: ninguém me avisou.

NOTAS:

Artigo acrescido e revisado em 17.12.2011.

Artigo apresentado na Comunidade Já fui um Maranata em 31.08.2008. Daí em diante ele aparece em diversos Blogs e Sites. Atualização e re-estilização na data desta republicação.

Expressões e frases entre aspas e itálico pertencem à Almeida, RA-SBB. Aquelas sem aspas e em itálico aparecem em apostilas da ICM-PES.

(1) Antes que deletem, copie o conteúdo da apostila “Os Valentes da Obra” em http://doutrinarevelada.blogspot.com/2009/05/os-vanentes-da-obra-davi.html

(2) O Estatuto da ICM-PES emhttp://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=1278527&tid=2533346986709427110&na=4

(3) O cabalístico 37 é mais curioso do que se pensa. Os números 111, 222, 333, 444 etc., são todos múltiplos de 37, ou seja: multiplicando 37 por 3, 6, 9,… (seguindo a seqüência) obtêm-se estes mesmos números.

(4)  http://www.espada.eti.br/n1478.asp

(5) Gedelti V. T. Gueiros – Revista Personalidades – A Quarta Trombeta, ano IV, n. 13, 1998, pgs. 39-41. Neste mesmo sentido: Guia Verbo, 1a. ed., 2002, pgs. 20-30; VerboNews – Edição Especial – Editora e Marketing Ltda, n. 13, Ano 2, Abril de 2006, pgs. 20-24.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2011/09/a-obra-construindo-heresias/

maranata – a CAIXA DE SOM OBRAL!

FELICIANO:
.
”… Quanto a empresa do sobrindo do Gedelti, está ficando milhonária nas custas do PES.
Toda igreja aberta é montado um sistema de Som com as caixas WORK.
E as igrejas antigas todas trocaram as caixas antigas pelas caixas WORK.
Que por sinal não valem nada! Péssima qualidade…”

AS CAIXAS DE SOM “OBRAIS”:

Há depoimentos na internet que podem ser acessados cohttp://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2010/08/o-rabo-do-diabo-esta-metido-nisto/m uma simples pesquisa no Google sobre a péssima qualidade dessas caixas de som. Mas, o mais interessante é observarmos o esforço da “Obra” em deixar sua marca registrada em tudo.

Dentre as traduções da palavra inglesa WORK, está a nossa conhecida OBRA. No site maranático Unity and Revival, há, inclusive, instruções para quem quer implantar a “Obra” em sua igreja, sob o título How to start the WORK of the Spirit in a church.

Que gafe: colocaram o nome de OBRA em um produto chinfrim, feito sob medida para enriquecer parentes do dono da seita vilavelhense. Finalmente, o nheco-nheco dos desafinados violões Tonante ganha um aliado de peso – a CAIXA DE SOM OBRAL!

Pelo jeito, continuam obrando como nunca…

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2010/08/o-rabo-do-diabo-esta-metido-nisto/

igreja cristã maranata – O rabo do Diabo está metido nisto

“…o fim é amargoso como o absinto, agudo como a espada de dois fios.”  (Pv. 5.4)

Dura verdade! Ávidos de aprenderem a caminhar pelos meandros dos mistérios da Obra, cada encantado com a Obra Maravilhosaadquire certeza da necessidade dos encontros do Maanain. Dois, no máximo três dias nos seminários de fins de semana… Então, em Nome de Deus, começa a ação esquizofrênica dos líderes do maranatismo-monárquico-pseudocarismático na mente dos principiantes.

Encantados! (Assim como os idólatras e ignorantes cruzam as fronteiras em direção ao morro do Horto em Juazeiro do Norte-CE para pagar promessa em honra ao Padim Ciço. Este Cícero Romão Batista, dentre os cearenses o mais respeitado e temido, marcou a história dos nordestinos por obra e graça da idolatria ocultista e papista que reina na ICAR, espertíssima em fazer dos católicos a exclusiva massa da manobra multifuncional dos papas.)

Encantados com a promessa de estarem sob a proteção de miríades de anjos em local sagrado (alguns afirmam haverem visto anjos mais altos do que o monte fronteiriço), os icemitas principiantes começam a crer na crença do chefe muito religioso e monarca quadragenário, o augusto criador do Ídolo-Obra. E logo aprendem: Nesta Obra manda quem pode e obedece quem tem juízo. Esta ameaça desalentadora ecoa do berrante do dono do rebanho e por trás do trono do mais valente dos valetes (escrevi valetes).

Engolir apostilas e aulas dissimuladas em heresias é angustiante. Com ambigüidades, espiritualização de frases fora do conteúdo e do contexto geral das Escrituras e o gasto e inchado tipologês. No início da aula oclamor esquizofrênico, ilícito e precipitado, onde, em vão, o Nome do SENHOR é invocado.

Erro em cima de erro! De certo modo, cada capítulo do erro está atrelado ao outro formando um monturo nebuloso e ocultista. Imbróglio imposto com ênfase no jargão mistérios da Obra. Negrumes e sombras!

Escravidão causadora de estertores da morte espiritual e ruinosa ao redor do Ídolo-Obra, a ponto de gerar milhares de cegos espirituais incapazes de enxergar, e de examinar as Escrituras Sagradas, e de exercerem fé no “evangelho da graça de Deus” (At. 20.24). Mas continuam grávidos do maranatês, por exemplos: alcançar a revelação; descaracterizar a Obra; entendimento de Obra; falar mal da Obra; fazer parte da Obra; fora da revelação; imagem da Obra; mentalidade de Obra; não entendeu a revelação; padrão da Obra; sair da Obra; sem-revelação etc.

Esta conspurcação doutrinária herética e ocultista impõe à membresia arrolada nas unidades locais a obrigação de andar e continuar andando no centro do erro. Deste modo, os freqüentadores do palácio da rainha desfigurada (“quem lê entenda”) estão acostumados a engolir adoutrina revelada além da letra, sem saber o amargoso que os espera…

Finalmente, os aprendizes desse imbróglio religioso foram feitos massa de manobra que glorifica os grandes e poderosos valetes (escrevi valetes) que andam ao redor do erro, capazes de apedrejar os crentes Estêvãos que denunciam o abismo da heresia, o acúmulo de bens, o adultério da poderosa rainha desfigurada , o corporativismo da elite, o desvio de dinheiro, o estelionato ganancioso, o falso profetismo que corre nos cultos proféticos, os acordos com políticos raposas… e o pior da HERESIA ICEMITA:

1. as três primeiras das sete trombetas do Apocalipse já tocaram;
2. enquanto as trombetas ressoam o anjo joga do fogo do altar – o Espírito Santo – sobre as cabeças dos homens para que recebam com alegria as intervenções de Deus;
3. finalmente, a quarta trombeta vai tocar e num abrir e fechar de olhos a Igreja Fiel vai ser arrebatada.

Leia e entenda:

Obra resistindo ao Espírito Santo

O Desastre da Heresia Icemita

A Quarta Trombeta Soará

Nada de crença cristã fundamentada em ortodoxia; porém, religião sectarista que impõe a prevalência do DON (Doutrinas, Orientações e Normas do Presbitério cf. arts. 5º e 25 do Estatuto da ICM-PES) do monarca para o alto clero, e deste para o baixo clero, e deste para a membresia que deve obedecer… obedecer… e obedecer. O íntimo de cada um deles estremece ao som do “Não toqueis nos meus ungidos”.Leia e entenda: A noite já chegou para os icemitas

No centro da linguagem do não-pensamento  e ancoradouro do falso profetismo estão os Seminários da Obra nos Maanain‘s. Medula e ossos tremem. O faminto e sedento que ali abriu a boca, e engoliu capítulos inteiros da HERESIA ICEMITA, jamais conseguirá entender a compaixão, a graça, a sabedoria e o poder de Deus, enquanto estiver comprometido com as heresias impostas pelo Ídolo-Obra. Porque  a ardilosa linguagem do não-pensamento não lhe permite entender a ação do Espírito de de Cristo Jesus em batismo de fortalecimento em espírito e poder vivificante para testemunhar de Jesus conforme o padrão da Nova Aliança.

No entanto, o definitivamente formatado servo da Obra não passa de maluco-pela-obra ingresso na corrida insana, para saber qual deles é considerado fruto maduro e melhor para acesso ao cargo de enviado do presidente do sinédrio nas unidades locais do sistema. Exemplos de maluco-pela-obra aparecem nos comentários dos artigos doSeitamaranata (1).

O corporativismo entre os principais dos sinedritas existe por falta de Regimento Interno, a ponto de alguns defenderem interesses mercenários e meramente pessoais, de olho no que está escondido em alguns cofres em alguns lugares… No aguardo da iminente implosãoalguns querem arrancar do trono, desde agora, o idoso e imponente monarca quadragenário que resiste e resiste…

O corporativismo, o falso ensino, o falso profetismo, o império do DONe o orgulho religioso é sistemático. Religiosidade e Sectarismo!

O gedeltismo ignorou o conhecimento e exercício da fé na Palavra de Deus; e conseguiu produzir uma paródia e perversão da Revelação original de Deus ao homem. Ora, esse “fogo estranho”, segundo as Escrituras, é desastre previsível. A BÍBLIA FOI TRAÍDA!

poder camaleônico é exigente e manda: ABSORVAM A OBRA!

O rabo do Diabo está metido nisto. Não duvide!

Sempre que o sinédrio se corrompe pelos imaginários plenos poderes, restam paixões, e perseguições, e retirantes, e segredos, e sombras, e subserviência, e tramóias…

NOTA

Frases em itálico aparecem em apostilas e aulas nos seminários da ICM-PES. Frases em itálico entre aspas pertencem à Versão Almeida, SBB ou outra indicada.

(1) Infelizmente, estes comentários foram perdidos.  Leiam os artigos do http://obramaranata.wordpress.com/

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2010/08/o-rabo-do-diabo-esta-metido-nisto/

maranata – nunca vi uma igreja sujar tanto o evangelho quanto a icm-pes: desvios de dinheiro, de conduta, de caráter e o pior de todos os desvios – o da Palavra do Senhor, bem como do Nome do Espírito Santo de Deus, para manipular e subjugar pessoas de boa fé

(Rm. 2.24): “…o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por vossa causa.”

É isto CV, nunca vi uma igreja sujar tanto o evangelho quanto a icm-pes: desvios de dinheiro, de conduta, de caráter e o pior de todos os desvios – o da Palavra do Senhor, bem como do Nome do Espírito Santo de Deus, para manipular e subjugar pessoas de boa fé.

Hoje mesmo uma irmã me confidenciou algo sobre sua filha, que já saiu da icm há uns dez anos atrás, e que naquele momento ela não deu nenhum apoio, muito pelo contrário, ficou contra sua filha e cegamente do lado da “obra”.

E o motivo da filha sair?

Nos seus dois últimos de icm-pes ela inventava “dons”, particularmente no culto profético, e nunca, ninguém sequer desconfiou. No início ela falou pra mãe, que fazia pra ser mais respeitada e admirada. Mas com o passar do tempo, passou a não acreditar em mais nada, e que inclusive, tinha a certeza que o Senhor não estava naquele lugar.

Então passou a orar, pedindo ao Senhor, que mostrasse a alguém, que tudo que ela entregava era mentira, mas nada. Muitas vezes seu “dom” foi a direção pro culto. E na hora da bibliomancia? Amém pra suas mentiras.

Resolveu sair… foi pro mundo. E isso, porque a própria mãe não a apoiou a ir pra uma igreja tradicional, como era de seu desejo. Disse pra filha, que lá (na igreja tradicional) não havia salvação, nem o Espírito Santo… seria perda de tempo. Repetiu o que sempre aprendeu nos “reveladas” mensagens da “obra perfeita”.

Hoje, diante dos acontecimentos e acompanhando esse blog diariamente, viu a injustiça que cometeu com sua querida filha.

E agora? Como reparar tudo isso CV?

E ainda tem gente que entra aqui, pra defender essa “obrinha do sinhô”, que separa famílias, destrói sonhos, mata a fé e fecha as portas do Reino dos Céus.

Achavam que iam continuar reinando soberanos… Esqueceram do nosso JUSTO JUIZ, se é que um dia o conheceram.

Não mais enganarão vidas preciosas! Não mesmo!

É tempo de juízo do Senhor!

Paz a todos!


.
Amados,

E ainda dizem que têm a chave da interpretação da palavra revelada além da letra. E contra esses tais pesa a DENUNCIA DE JESUS (Lc 11.52): “Ai de vós, intérpretes da Lei! Porque tomastes a chave da ciência; contudo, vós mesmos não entrastes e impedistes os que estavam entrando.”

Então, de que vale o clamor pelo sangue de Jesus?

Espíritos de enganação e mentiras habitam em icemitas extremamente vaidosos; e depois de tomarem posse de suas almas fazem o querem dentro de um “culto profético”. E ninguém discerne. Demônios são expulsos? Não! Isto não causa indignação? Sim! Quem dentre eles discerne a obra do “deus deste século”?

O meia-sola remendado, ali presente, fica ouvindo mentiras depois da heresia do clamor, consulta mentiras, aprova mentiras e anuncia mentiras para o povo; enquanto o diabo se esgueira pelas sombras e introjeta outras mentiras nos presentes. E os filhos do gedeltismo feitos meia-solas remendados, embriagados exclamam: OBRA MARAVILHOSA! OSSORREVELÔ!

Os seminários são articulados para formatação e introjeção de doutrina revelada além da letra. Então, prometem a excelência da OBRA como caminho para a eternidade e exclusiva porta da salvação; mas andam com astúcias, adulterando as Escrituras e praticando coisas indignas e muito vergonhosas. Como está escrito (2 Co. 4-1-7 – ênfase nossa):

“Pelo que, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos; pelo contrário, rejeitamos as coisas que, por vergonhosas, se ocultam, não andando com astúcia, nem adulterando a palavra de Deus; antes, nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade.

Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto, nos quais o DEUS DESTE SÉCULO [SATANÁS] cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.

Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e a nós mesmos como vossos servos, por amor de Jesus

Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo.

Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós.”

E o que fazer? Arrependimento! Mudança de vida! Pedir perdão! Quebrantamento!
Naquilo em que a Mãe dessa jovem foi responsável por estimular o erro da filha com suas mentiras, ela deve confessar isto a fim de alcançar o perdão de Deus.
Pois eu lhes afirmo: em um culto profético a POSSIBILIDADE DE ERROS é de 100% (cem por cento).
Paz.

fonte: http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2012/03/castigo-definitivo/#comment-13528